quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

(I)limitar

[foto retirada da net]


Na semana passada fui ao cinema e no momento de publicidade inicial houve uma frase que me ficou retida na memória: "O limite é aquele que impões a ti próprio"
Ok! Não é nada de novo, eu sei... mas, nunca é demais repetir e relembrar que para combater o marasmo em que a nossa vida se pode tornar, embora não existam soluções milagrosas, para começar nada melhor que pensar em grande, sonhar com a cabeça algures entre a Terra e a Lua e resistir, com todas as nossas forças, à inércia que nos aconchega em momentos de fraqueza e inseguranças...
Que mal tem ser-se ambicioso e querer ir além do que se prevê alcançável? 
Que mal faz "ilimitar"? 

E, já agora, porque motivo é que este verbo de ação não se consegue encontrar no dicionário?

2 comentários:

sad eyes disse...

A frase não é nova mas é pertinente. Temos que se nós a estabelecer os nossos limites e saber defini-los sempre que seja preciso.
Bjs

Isa E. disse...

Pois é isso mesmo o que eu mais quero, minha amiga.
Aprender a ilimitar-me.
Gostei...

Beijinho