sábado, 20 de outubro de 2012

É ou não é?

 [foto retirada daqui]

"A modéstia não pode ser considerada uma virtude, pois assemelha-se mais a um sofrimento do que a uma qualidade."

[Aristóteles]


Este post é suscetível de distintas interpretações, como em tudo nesta vida! E o risco é maior quando se parte com a noção que se podem ferir suscetibilidades, mas eu assumo esse risco e por isso cá vai...

Ora bem... hoje fala-se aqui de modéstia, um requisito necessário a quem pretende ser politicamente correto, que a encena para não parecer, aos olhos dos outros, numa expressão narcisista ou a elevação de um super Ego, mas não é assim que a nossa cabeça  digere essa mensagem, é digno admiti-lo. 

Cá entre nós, mesmo que uma pessoa destaque as suas conquistas e os seus êxitos,  de forma meritória, porque será tão fácil, ao receptor da mensagem, não ficar indiferente? Às vezes ainda disfarça, dá os parabéns mas depois ou boceja evidenciando que não está interessado na conversa, ou tortura-se e acaba por cair no discurso típico de encontrar as causas "divinas" de tais factos, sendo a mais comum a sorte, um conceito extremamente robusto que causa quase tudo aquilo que nos incomoda nos outros.

É bem mais fácil ficar-se sonhando com a mudança sentado confortavelmente no sofá, mas bem mais difícil ficar-se indiferente ao facto de existirem pessoas que tem o impulso de saltar da zona de conforto e provocar essa mudança... 

E com isto quero dizer que se tivesse nascido na altura em que Aristóteles nos brindava com tão profundos e verdadeiros pensamentos teria sido certamente uma grande amiga dele. 
E só para que ele saiba que nada do que ele disse foi em vão, mesmo passado tanto tempo, fica aqui registado o compromisso que não serei uma modesta sofredora quando existirem bons motivos para partilhar as minhas conquistas... não preciso de uma plateia a aplaudir-me, ao som do hino do meu país, mas o pódio não é só para os desportistas e para quem quase se desventra numa competição com os melhores dos melhores (dizem eles!) por um dos três primeiros lugares. 

Em lugares comuns, pessoas comuns lutam com garra e com a convicção  de que se falha a 100% tudo aquilo que não se tenta, por isso mesmo, bem mereciam subir, reconhecidamente, ao pódio, quase todos os dias! Estou convosco nesta luta, certa que não será em vão :) 





sexta-feira, 19 de outubro de 2012

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Ao comando da vida...

[foto retirada algures na internet]

"O sonho comanda a vida" mas não o consegue sozinho. Ninguém assume o leme da sua trajetória de vida apenas a sonhar (a dormir ou acordado). É necessário agir, no sentido de tornar reais os sonhos e nessa nobre missão considero a paixão é essencial. Quem nunca cometeu loucuras por paixão? Quem nunca se desafiou, arriscou, ultrapassou limites e correu atrás do incerto à conta da paixão?

Pois é... e não falo apenas da paixão por aquele(a) que, só por estar perto, nos mete o estômago em reboliço e nos faz envergonhar a mais vermelha lagosta...
Falo, também, dos ideais pelos quais nos regemos, pelas ideias que gostaríamos de concretizar e por tudo aquilo que nos faz acordar, até nas mais frias e chuvosas manhãs, com a energia de um dia primaveril. 

E apesar de, nos últimos tempos, só ouvir falar em crise, em desemprego, em dificuldades financeiras, em pobreza, em atentados e manifestações, sinto uma enorme esperança no futuro.

E sinto-a porque todos os dias surgem motivos e pequenas conquistas que merecem ser celebradas: uma pessoa nova que conheço e com a qual aprendo qualquer coisa, uma conversa com um amigo que está a passar por um mau bocado mas que consegui fazer sorrir, um telefonema inesperado, um reencontro, uma ideia partilhada e acarinhada, o reconhecimento por alguma tarefa que realizei e tantos outros momentos em que fui eu  mesma, com entrega, boa disposição e paixão!

E não é nada difícil sentirmo-nos cativados por pessoas fantásticas, com uma energia contagiante, resilientes, apaixonadas, que só podemos retribuir-lhes partilhando o melhor de nós mesmos... 




quinta-feira, 11 de outubro de 2012

[foto retirada daqui]


O tempo livre tem andado a fugir de mim... muito à conta da minha mania que com uma boa gestão do tempo é possível fazer-se muita coisa. 
Começo a colocar em causa esta teoria. Na verdade, há sempre momentos que acabamos sufocados, com uma enorme vontade de abdicar de uma série de coisas porque nos sentimos aprisionados às responsabilidades que elas implicam e ao tempo que nos consomem silenciosamente.

Nos últimos tempos não tenho tido tempo para mim para coisas tão simples como retomar a leitura do livro que está a meio, em cima da mesinha de cabeceira, de escrever alguma coisa (que não seja e-mails e trabalho) para deambular pela internet sem ser em busca de uma informação urgente e necessária. 

E sinto imensas saudades de blogar: de vos escrever, de vos ler e comentar...


quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Experiência do fim-de-semana.





José Cid - um grande Senhor da música portuguesa! Os anos somam-se mas ele continua a transmitir a boa energia de quem está grato por poder partilhar a sua paixão com o público. Um público diferenciado mas que aprecia boa música porque "as canções bonitas não têm tempo nem idade..."


domingo, 30 de setembro de 2012

Almas gémeas (?)

[foto retirada daqui]

"As pessoas pensam que uma alma gémea é o par perfeito e é isso que toda a gente quer. Mas uma verdadeira alma gémea é um espelho, uma pessoa que te mostra tudo aquilo que te retém, a pessoa que faz com que te centres em ti mesma para que possas mudar a tua vida. Uma verdadeira alma gémea é provavelmente a pessoa mais importante que alguma vez conhecerás porque deita abaixo as tuas defesas e desperta a tua consciência. Mas viver com uma alma gémea para sempre? Não. É demasiado doloroso. As almas gémeas entram na nossa vida para nos revelarem uma outra camada de nós mesmos e depois vão-se embora."


Elizabeth Gilbert, in Comer, Orar, Amar

sábado, 15 de setembro de 2012

Ufa!!

Parece mentira mas consegui sobreviver a esta semana caótica...
Hoje, só o facto de ser sexta-feira me animou... Mas já equaciono a hipótese de adquirir um bom complemento vitaminico para o caso de me escassearem as energias para os tempos que se avizinham...

No entretanto vou espairecer neste fim-de-semana que se vislumbra como o mais livre dos próximos meses...

Aproveitem bem o fim-de-semana!

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Há Paz em mim...

[foto retirada daqui]

Há dias intermináveis, complicados, cheios de problemas e escassos em soluções. Há dias em que só nos apetece reclamar, dizer poucas e boas às pessoas que teimam em nos tirar do sério e entrar diretamente para o pódio dos mal humorados e com mau feitio num raio de 100 km...
Esta semana tem sido assim... e eu tenho-me tentado controlar... Mas perdi a conta às vezes que repeti para mim mesma: 
...
 Há Paz em mim!
...
Há Paz em mim!
...
Há Paz em mim!
...
Há Paz em mim!
...

domingo, 9 de setembro de 2012

Caminhos alternativos

 "Virgínia Woolf escreveu: «Sobre o vasto continente da vida de uma mulher, cai a sombra de uma espada.» Acrescentava que de um lado dessa espada estava a convenção, a tradição e a ordem, onde «tudo está correcto». Mas do outro lado dessa mesma espada, caso fossemos suficientemente loucas para a atravessar e escolher uma vida não convencional, «tudo é confusão. Nada segue o curso normal.». A sua tese era que atravessar a sombra dessa espada poderia trazer à mulher uma existência muito mais interessante, embora mais perigosa."

(por Elizabeth Gilbert, in Comer, Orar, Amar)

[foto retirada daqui]


* * *
NÃO SEI DIZER SE ESTA TRAVESSIA PARA O LADO NÃO CONVENCIONAL SERÁ UMA OPÇÃO CONSCIENTE OU A CONSEQUÊNCIA DO CURSO QUE A VIDA SEGUE... APENAS SEI QUE, SOBRETUDO PARA AS MULHERES, HÁ UMA EXPECTATIVA (CASTRADORA) DE UMA VIDA CERTINHA, DE ACORDO COM O É ESPERADO E NO TIMING CERTO...
APESAR DE SENTIR QUE ESSA VIDA ORDEIRA SEJA BEM MAIS DESINTERESSANTE, POR PARECER QUE ESTAMOS A VIVER COMO MARIONETAS NAS MÃOS DA SOCIEDADE, TEM A VANTAGEM DE NÃO SE TER DE DAR SATISFAÇÕES SOBRE A NOSSA VIDA E NÃO SE CORRE O RISCO DE SE SER CONSIDERADA UMA QUASE "FORA-DA-LEI".
MAS COMO SE COSTUMA DIZER HÁ RISCOS QUE NÃO SE PODEM DEIXAR DE CORRER E IR EM BUSCA DE FELICIDADE E REALIZAÇÃO POR CAMINHOS ALTERNATIVOS SERÁ, CERTAMENTE, UM DESSES RISCOS A CORRER|

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

E é tudo por agora...

[foto retirada daqui]


"A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve, mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar.."

 (A Felicidade, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes)

* * *

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Vida(s)

[foto retirada daqui]


"Todos temos três vidas: 
A vida pública, a vida privada e uma vida secreta."

Gabriel García Márquez 


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O Caminho

[foto retirada daqui]


O caminho faz-se caminhando.
Mesmo que não se saiba ao certo qual o destino final, o que importa é fruir a viagem e saborear os bons momentos que ela nos proporciona, sem pressas!


domingo, 2 de setembro de 2012

(des)Arrumações

[foto retirada daqui]

 
Há pessoas que, quando entram na nossa vida, nos desarrumam o coração.

E isso é...bom!


sábado, 1 de setembro de 2012

Precioso



Quantas voltas são precisas, para escolher um só caminho?
E sentir que é meu para Sempre!
Quantas vezes, indeciso, eu desisto de vencer
E decido ser prudente, evitando o que é diferente.

É o tempo roubado à razão de existir
Um momento passado e perdido
É o Amor... Precioso!

Um Destino traçado num mapa a fingir
Um Futuro Distante, Iludido 
É o Amor... Precioso!

Quantas feridas são precisas, para escorrer um sangue novo
E acender a chama ausente
Prometendo que é para Sempre!

É o tempo roubado à razão de existir
Um momento passado e perdido
É o Amor... Receoso!

Um destino traçado num mapa a fingir
Um futuro distante, iludido
é o Amor... Precioso!

[Miguel Ângelo] 

Já?

[foto retirada daqui]


 Eu sim!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Pessoas & Gavetas!

 [foto retirada daqui]


Há uns dias atrás, em conversa com uma amiga, que está a passar um momento complicado em termos profissionais, ela dizia-me que neste pais as pessoas parecem estar em gavetas. Obviamente ela referia-se a currículos, candidaturas espontâneas que infelizmente se acumulam em muitas gavetas de empresas que, muitas das vezes, não têm capacidade para contratar mais ninguém. 

As gavetas servem para guardar objetos. Mas também pessoas, afinal de contas basta olhar para as redes sociais, as agendas de contactos dos telemóveis ou do e-mail para perceber que as guardamos em categorias (dos amigos, colegas de trabalho, família, antigos alunos da mesma faculdade, das caminhadas, da formação e do curso de pintura ou fotografia...).

Mas esta ligação entre as pessoas e as gavetas não se resume a isso.Será que as nossas gavetas refletem a nossa forma de lidar e nos relacionarmos com as pessoas? Afinal de contas todos nós temos gavetas [mais ou menos] organizadas, confusas, cuidadas...E relações também :)

Quem não tem uma gaveta para guardar coisas especiais, muitas delas aparentemente insignificantes mas que não fazem delas menos especiais. Há, igualmente, pessoas assim especiais que ocupam um espaço singular nas nossas vidas.

E não faltará a ninguém, presumo eu, uma gaveta com os produtos para fazer face a alguma emergência. Também as há, pessoas a quem recorremos naqueles momentos em que temos dúvidas, inseguranças, tristezas e feridas por tratar...

Numa perspetiva diferente, na gíria, gaveta pode ser sinónimo de prisão. E todos nós temos gavetas cheias de recordações, boas ou más (não importa!) que revisitamos sempre que as saudades se abeiram. Mas, por outro lado, também temos gavetas vazias que não sabemos o que/quem lá meter dentro... 

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Inevitabilidades

 
[foto retirada daqui]

"Feche algumas portas. 
Não por orgulho ou arrogância, mas porque já não levam a lugar nenhum."

Paulo Coelho

terça-feira, 28 de agosto de 2012

50/50 = Não (?)


[foto retirada daqui]


Por vezes (não) agimos condicionados pela respostas que não queremos ouvir e, assim, acabamos por não receber as respostas que desejávamos.

E a prova de que damos pouca importância aos 50% de hipóteses de obtermos uma resposta favorável reside no facto de, na primeira frase, podermos contar com (apenas) três "Não". :)

[Será que, para alguns de nós, o "Não" é uma espécie de obsessão?]

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Será mesmo assim?


 [foto retirada daqui]

"Creio que todos nós criamos os nossos monstros, os nossos medos, inseguranças, pensamentos mutiladores, mas raramente encontramos pessoas dispostas a partilhá-los."

[Augusto Cury, in A Saga de um Pensador]

domingo, 26 de agosto de 2012

Um passo


[... uma feliz descoberta pelo youtube. Adoro!]

sábado, 25 de agosto de 2012

Cada um...

[foto retirada daqui]


... recebe as consequências que merece pelas suas (más) atitudes! E a consciência de tais factos é, seguramente, a melhor companheira para uma noite mal dormida. 
Mesmo sabendo que não se é mais feliz por nos pouparmos a desilusões, que mania a minha de agir assim, de falhar precisamente quando o meu objetivo é não falhar. 
E ainda pior é ter de albergar a consciência dos meus atos e a enorme probabilidade de não ter uma nova oportunidade para reescrever o final desse episódio...
   
[...e eu hoje sinto-me assim, toda amarrotada por dentro...]
 

Tens que largar a mão...


Tens que largar a mão, p'ra eu sair de pé
Sou o teu anjo e não me vês
Na parte calma do que és

Tens que largar a mão e sair de pé
Sou o teu anjo a procurar
A parte quente do que vês

Mas há portas por fechar, com o chumbo a prender
É mais forte do que quero acreditar
E se tudo vai com o vento a escorrer
Não sou eu quem vai lutar agora

Se eu não for quem vai ser
Se eu não for quem vai ter o teu melhor
Se eu não for quem vai seguir a tua mão
E levar-te como só eu sei

Vais aprender a olhar quando a dor vier
Vais aprender a desvendar a parte fraca do que és

P'ra descobrir depois quando a luz voltar
Tens um jardim a procurar
Que precisa de saber
Quanto tempo vai durar este muro a prender
É mais forte do que queres acreditar
E se tudo vai com o vento a escorrer
Não sou eu quem vai lutar agora

Se eu não for quem vai ser
Se eu não for quem vai ter o teu melhor
Se eu não for quem vai seguir a tua mão
E levar-te como só eu sei

[Tiago Bettencourt]

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Farol, Faroleiros e Faroleiras :)

Farol de Santa Maria [foto retirada daqui]

Se hoje me perguntassem: 
"O que queres ser quando fores grande?" 

Responderia: "Quero ser faroleira!!" 
[Haverá missão mais nobre do que manter visível a luz que, em terra firme, guia aqueles que andam no mar. E ainda ter o mar por companhia, o silêncio necessário para pensar na vida de olhos postos na linha do horizonte.] 

***
Três mulheres dos Açores concluíram o curso de faroleiras... O que levou estas mulheres a escolherem esta carreira que as obriga a viver em faróis situados em locais inóspitos?
Em 2004, Suzete Melo, Goreti Oliveira e Ângela Melo inscreveram-se no curso de formação de faroleiros da Escola da Autoridade Marítima. Meses depois, o curso concluído, tornavam-se nas três primeiras mulheres faroleiras em Portugal. Um feito inédito, num mundo onde até então só tinha havido homens. Ainda hoje, seis anos volvidos sobre o curso, continuam a ser as únicas mulheres a exercer esta função.
Sendo as três naturais dos Açores, foram destacadas para faróis do arquipélago. Suzete e Ângela em São Miguel, Goreti na vizinha ilha de Santa Maria. As comissões duram quatro anos, e cada uma delas partilha o farol, isolado e de difícil acesso, com dois outros faroleiros.
As tarefas diárias são muitas, para além da vigilância, manutenção e limpeza dos equipamentos, têm a seu cargo obras a efetuar nos edifícios, e nalguns casos visitas regulares a farolins marítimos.
O que levou estas três mulheres a escolher esta carreira que as obriga a viver em faróis situados em locais inóspitos, apenas rodeadas de mar, e distantes de qualquer povoação? E porque escolheram uma profissão até então exclusivamente masculina e em vias de desaparecimento? Como se passa o seu dia-a-dia, como vivem no farol, como são vistas pelos faroleiros com quem dividem a sua casa farol? 

[NOTÍCIA retirada daqui]

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Estrela do Mar



Numa noite em que o céu tinha um brilho mais forte
e em que o sono parecia disposto a não vir
Fui estender-me na praia, sozinho ao relento
e ali longe do tempo, acabei por dormir!

Acordei com o toque suave de um beijo
e uma cara sardenta encheu-me o olhar
Ainda meio a sonhar perguntei quem era
ela riu-se e disse baixinho: Estrela do Mar

Sou a Estrela do Mar, só a ele obedeço
só ele me conhece, só ele sabe quem sou 
no principio e no fim
só a ele sou fiel e é ele quem me protege 
quando alguém quer à força ser dono de mim

Não sei se era maior o desejo ou o espanto
só sei que por instantes deixei de pensar!
Uma chama invisivel incendiou-me o peito
qualquer coisa impossivel fez-me acreditar

Em silêncio trocámos segredos e abraços
inscrevemos no espaço um novo alfabeto

Já passaram mil anos sobre o nosso encontro
mas mil anos são pouco ou nada para a estrela do mar

Sou a Estrela do Mar só a ele obedeço
só ele me conhece  só ele sabe quem sou 
no principio e no fim
só a ele sou fiel e é ele quem me protege
quando alguém quer à força  ser dono de mim

[Jorge Palma]


 * * *
Adoro esta música, por isso é uma das eleitas para esta sexta-feira à noite tranquila para que possa aproveitar, em pleno, o fim-de-semana que já espreita!

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

And the winner is...

[foto retirada daqui]


Hoje é dia de saborear uma conquista porque não me lembro de ter experimentado a sensação de ser surpreendida por um telefonema com a boa notícia de ter ganho um prémio :) 
Sabe ainda melhor porque, em vez de pensar que não iria conseguir ou que não valeria a pena, agi, arrisquei e consegui!

Agora parece-me evidente que o povo diz, e com razão, que "Quem [não] arrisca, [não] petisca!"

 

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Ler... Comer, Orar, Amar

[foto retirada daqui]

Gosto de ler. Gosto, também, de livros - os que me oferecem, os que compro, os que me emprestam, os que me sugerem e os que encontro a preços surreais em feiras ou outlets. 
Alguns dos que estão na estante a aguardar, não resisti a ler-lhes os primeiros capítulos mas fiquei por aí. Um desses é o "Comer, Orar, Amar" de Elizabeth Gilbert, oferecido por uma grande amiga minha! Na altura, já lá vai um par de anos, aborreci-me e desisti de o ler até ao fim. 
Depois veio o filme... E não pude deixar de o ver mesmo sem ter lido o livro primeiro, ciente que correria o risco de não voltar a pegar nele. Mas, pelo contrário, o filme aguçou-me a vontade de o fazer. E por muito que as imagens nos transportem para dentro da história, as palavras envolvem-nos ainda mais, prendem-nos a pormenores que perdurarão por mais tempo na memória!

E é hoje que começo essa odisseia. Não vale a pena negar que não estou curiosa para saber quais as sensações que esta viagem me proporcionará...


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Leituras de Verão

[foto extraída algures pela internet, sem qualquer referência]


sábado, 11 de agosto de 2012

"Já se passaram alguns anos..."

É impossível ficar-se indiferente e não abrandar o passo para guardar na memória a imagem de um casal sénior a passear de mão dada. Mesmo sem conhecer a sua história, os seus rostos luminosos (de quem está de bem com a vida e com as limitações que ela lhes trouxe), pelo diálogo que mantém (é verdade, não deu para não ouvir!) e pela cumplicidade de um caminhar lado a lado, de mãos dadas e sem pressas, torna-se fácil perceber que é reinventando o sentimento que os uniu nesta caminhada que se atinge esta serenidade...


 Olha lá, Já se passaram alguns anos
Nem sequer vinhas nos meus planos, Saíste-me a sorte grande!

E eu cá vou, usando os louros deste achado
Contigo de braço dado, para todo o lado.

Eu vou até morrer, Ser teu se me quiseres!

Agarrado a ti, vou sem hesitar
E se o chão desabar, que nos leve aos dois
Vou agarrado a ti

Meu amor, na roda da lotaria
Que é coisa escorregadia, Saíste-me a sorte grande!

E eu cá vou, à minha sorte abandonado
Contigo de braço dado, para todo o lado!

Eu vou até morrer, ser teu se me quiseres!

Agarrado a ti, vou sem hesitar
E se o chão desabar, que nos leve aos dois
Vou agarrado a ti

E olha lá, por mais que passem os anos
Por menos que faça planos, Sais-me a sorte grande!
Agarrado a ti, vou sem hesitar
E se o chão desabar, que nos leve aos dois
Vou agarrado a ti

[Sorte Grande, com João Só e Abandonados ft Lúcia Moniz] 
 

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Confirma-se!

[foto retirada daqui]


Ao nos agarrarmos demasiado ao passado, minamos o presente e comprometemos, certamente, o futuro! E se não estivermos realmente atentos e não nos esforçarmos para quebrar esses elos, ficamos acorrentados a este ciclo vicioso...



quarta-feira, 8 de agosto de 2012

O que é uma oportunidade?

[foto retirada daqui]


"É tudo. Uma oportunidade é uma possibilidade e tu, assim te permitas, podes tudo. 
Como acontece todos os dias e a todas as horas, é algo corriqueiro, pequeno, quase invisível, e, por isso, nem sequer é interpretado da melhor maneira. Podes  criá-las ou, simplesmente, estar recetivo porque elas, também, surgem do nada. A única premissa para teres uma vida cheia de oportunidades é estares desperto e quereres, de facto, viver. Nada mais." 
[Gustavo Santos]


E que mais dizer sobre este assunto? 
Efetivamente, se calhar olhamos demasiado para o que está à nossa volta para encontrarmos os "culpados" pela nossa escassez de oportunidades e nem damos conta que nós mesmos, por inúmeras vezes, somos o nosso maior obstáculo... 
Dá que pensar...e quanto a mim, palpita-me que, com esta, me "caiu a ficha", que é como quem diz tomei consciência!!

terça-feira, 3 de julho de 2012

Yes, I can!

 [foto retirada daqui]


Hoje senti claramente o tempo a fugir, como foge a areia das nossas mãos quando a tentamos agarrar. Nada que já não tenha experienciado, mas hoje foi diferente...
Amanhã inicio[-me] noutra década de existência e, embora pareça um pormenor quase insignificante, para mim é como se fechasse uma gaveta de memórias... uma gaveta que tem alguns espaços vazios que já não vou a tempo de preencher...

Haverão segundas oportunidades de corrigir os erros que cometemos e só damos conta mais tarde?

Talvez apenas existam na ficção, porque facilmente recuamos no tempo e acrescentamos algum parágrafo numa história reinventada vezes sem conta porque nunca estamos certos que essa história está realmente terminada...
Mas não havendo segundas oportunidades, existirão alternativas. Novas e diferentes oportunidades que espreitam no nosso horizonte e que podem, desta vez, ser agarradas!

Pode parecer exagerado mas é assim que vivo a última página de um capítulo. 
Amanhã, será o primeiro dia do resto da minha vida (perdoem-me a frase feita...). 
Na verdade tenho uma folha em branco, um novo capítulo para começar, onde tudo está em aberto...

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Aprendizagem

 [foto retirada daqui]

"No fundo, somos todos aprendizes. Não é preciso ensinar uma criança a aprender. Elas são intrinsecamente curiosas, excelentes aprendizes, que aprendem a andar, falar e viver por conta própria. [...] Aprender não só faz parte da natureza humana [...] - nós adoramos aprender."

Peter Senge, A Quinta Disciplina


segunda-feira, 18 de junho de 2012

 [foto retirada daqui]

E de repente olhamos para trás e percebemos que não concretizámos tudo aquilo a que nos tínhamos proposto e invade-nos uma nostalgia e a dúvida se iremos ainda conseguir dar a volta a essa situação...


terça-feira, 22 de maio de 2012

Ai.. Ai...

[foto retirada daqui]

... Amanhã serei colocada à prova e só espero:
- não me dar uma branca, 
- não parar de respirar, 
- não dizer nenhuma asneira,
- ...

E sair de lá viva e pelo meu pé :)


domingo, 20 de maio de 2012

Mas...

 [foto retirada daqui]


Não é uma descoberta que possa contribuir diretamente para o bem da Humanidade. Porém, para mim, é mais do que isso - dá-me mais caminho para andar. 

Se a cada "mas..." que incluímos na resposta a um desafio, déssemos um passo atrás (eu, então, nem se fala) já há muito tinha recuado para além da linha de partida. 

Como pode uma palavrinha tão pequena ter tal poder de nos condicionar tanto ao ponto de, em alguns casos, negarmos a  felicidade de descobrir um novo caminho e de saborear essa experiência da conquista do desconhecido?

É absolutamente incrível e, diria eu, até mesmo um pouco assustador.

Não quero com isto, abolir esta palavra do dicionário. Apenas quero expulsá-la do meu discurso, sobretudo quando algum "mas" surja com o objetivo de me acorrentar à zona de conforto e sirva de desculpa para não aproveitar as oportunidades que se chegam a mim para me desafiarem a ser feliz de mão dada com novas descobertas :)

Por isso já sabem, da próxima vez que um "mas" vos queira resfriar o ímpeto de dizer sim a uma aventura lancem-se a ela e depois... bem! depois, dar-me-ão razão :)

 

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Regresso II

 [foto minha]


Após uma ausência daquele corre-corre diário que (quase) nos dita uma rotina, saboreamos um regresso agridoce. 

Se por um lado é bom sentir que as pessoas notaram a nossa ausência e que voltamos, cheios de energia, para fazer muitas das coisas que nos dá prazer, de rever as pessoas e de saber as novidades que não assistimos no momento... por outro lado, nunca nos abandona, por completo, aquela sensação de despedida fatal, que se cola à nossa pele exatamente no último e nostálgico dia de férias...

terça-feira, 8 de maio de 2012

Será?

 [foto retirada daqui]
 

"As pessoas infelizes, são infelizes todos os dias..."

Miguel Sousa Tavares

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Regresso

A todos aqueles que deram conta da minha ausência por estes lados venho dizer o motivo que esteve na sua origem. 
Alex, não fui (ainda) até África... andei pelos caminhos de Portugal a descobrir alguns recantos imensamente genuínos, inspiradores e tranquilos...
Deixo alguns registos: