segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Aprender...


 [foto retirada daqui]

 Hoje voltei a assumir o papel de aluna, numa turma heterogénea aparentemente bastante motivada para aprender, aliás como é comum nestes cursos não obrigatórios e em pós-laboral. 

Para além da óbvia busca de conhecimento, para mim este curso terá um outro propósito, bem mais especial: representa um passo dado para a superação de um bloqueio que há muito me habituei a lidar com ele simplesmente ignorando e contornando-o. Percebi (finalmente!) que já era hora de dizer "Basta! Não te enganes mais a ti própria!".

De entre os vários novos colegas desta aventura destaco uma ainda teenager, visivelmente tensa por se sentir colocada à prova junto de desconhecidos. O sistema de ensino, mais ou menos formal, ainda alimenta a necessidade de nos sentirmos na posse de conteúdos e competências que não nos deixem ficar mal junto dos demais. Não há espaço para se comemorarem os erros e os desconhecimentos que, pelo contrário, são vistos como zonas cinzentas do nosso currículo de aprendizagens/experiências.

Percebi-lhe a tensão pelo rosto ruborizado e revi-me, exatamente quando tinha a idade dela. Na mesma posição sentir-me-ia invadida pelo mesmo sentimento, apenas com uma diferença: provavelmente não teria a coragem de me inscrever assumindo essa minha "fraqueza" e muito menos de me sentar na primeira fila ficando, assim, mais exposta. 

Os anos que me distanciam dela, foram os necessários para encarar este meu handicap como um problema para o qual teria de obter uma solução eficaz.Dados os primeiros passos nessa direção, mesmo que timidamente, não há margem para hesitações ou desistências. Em frente é que é o caminho!

Passada a primeira sessão e a habituação a uma nova realidade, sinto que finalmente me estou a libertar desse bloqueio inicial. Na mesma proporção vai aumentando a minha motivação para aprender, para mostrar a mim mesma que para qualquer obstáculo que coloque a mim mesma haverá, certamente, uma forma de o ultrapassar. Todo o caminho é aprendizagem e eu sou demasiado imperfeita para saber de tudo à partida.

*
Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, 
nunca tem medo e nunca se arrepende.

Leonardo Da Vinci

2 comentários:

Isa E. disse...

A busca pelo conhecimento é a maneira mais acertada de obter resposta às nossas perguntas. E elas são tantas que é impossível responder a todas elas...daí porque o caminho do aprendizado é tão longo.
Texto muito bonito, Açoriana :)

açoriana disse...

E ainda bem que é longo Isa E.
É prova comprovada que teremos sempre curiosidades para descobrir e novas aprendizagens para conquistar e isso é um excelente contributo para renovar o encanto de cada dia que vivemos :)

Um beijinho