domingo, 4 de março de 2012

Sol partido em dois





O sol entrou, deslizou. Caiu no chão, partiu-se em dois
Olhei pra ti ainda dormias. Não havia antes nem depois.

Levantei-me, olhei-me ao espelho. O mundo à volta reluzia!
Como se nada fosse velho e eu tivesse estreado o dia.

Não... não vamos perder esta luz, vamos atá-la à memória 
para ver se ela conduz o resto da nossa história!

Acordaste, abriste a janela.
Juntaste a sol só para nós e o calor de mil velas no bom dia da tua voz
E o tempo passou por nós, segredou-nos desencanto
E o calor da tua voz silenciou-se dentro do peito

Não... não vamos perder esta luz, vamos atá-la à memória 
para ver se ela conduz o resto da nossa história!

O Outono veio, quebrou o céu!O inverno levou o que te dei;
A Primavera não voltou e o Verão em que te amei!

Não vamos perder esta luz, vamos atá-la à memória 
para ver se ela conduz o resto da nossa história!
 

5 comentários:

Isa E. disse...

Muitas vezes é mesmo apenas da memória dessa luz que existiu um dia que muitos ainda sobrevivem...
Muito bonito poema, desconfio de é escritora :)

AvoGI disse...

o sol partido em dois é mau sinal
mas adorei as palavras
kis :=)

açoriana disse...

Isa E.:
Todos nós precisamos deste sol para nos aconchegar as memórias boas e mantermos assim o nosso coração quentinho :)

AvoGi:
Seja bem-vinda a este meu cantinho.
Se for preciso partimos o sol em mil pedacinhos para que todos possam sentir-se iluminados por ele.

Gostei muito desta música pelas suas letra e melodia deliciosas :)

Alexandre disse...

Um belo começo de carreira.
Um arranjo musical impecável.

açoriana disse...

Alexandre: concordo em pleno contigo :)